• Cabeçalho Criança e adolescente

Criança e Adolescente

06/03/2014

CAMPANHA - Ministério lança campanha sobre perigo do consumo de álcool por adolescentes

Compartilhar no Facebook©

 

“Bebeu, Perdeu. Curta a adolescência sem beber.”
Ação será veiculada nas quatro principais praças de carnaval de rua do País:
Rio de Janeiro, Recife, Salvador e Ouro Preto.

Uma campanha que combate o consumo de álcool para crianças e adolescentes durante o período do carnaval foi lançada nesta segunda-feira (24), pelo Ministério da Justiça. "Bebeu, Perdeu" é o nome da campanha, que tem como slogan "Viu aí? Bebeu, perdeu. Curta a adolescência sem beber". A iniciativa alerta sobre o consumo de álcool, cuja venda é proibida para adolescentes em todo o País. Internet e rádio e outdoors são as principais formas de comunicação da iniciativa.

Segundo pesquisas do Ministério da Saúde, cerca de 60% dos jovens e adolescentes do País já fizeram uso de álcool ou outras drogas. A campanha custou R$ 5 milhões e será veiculada nas quatro principais praças de carnaval de rua do País: Rio de Janeiro, Recife, Salvador e Ouro Preto. "Nestas praças iremos veicular selos que alertarão para a ilegalidade da venda de bebidas alcoólicas para menores", reiterou o Secretário Nacional de Políticas sobre Drogas, Vitore Maximiano.

Considera-se criança a pessoa com idade de até 12 anos incompletos, enquanto adolescente são os jovens com idade entre 12 e 18 anos.

De acordo com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, a campanha é um apelo a comerciantes que evitem vender bebidas alcoólicas a crianças e adolescentes durante o período do carnaval. "Essa é uma questão fundamental para a população brasileira. Fazemos um apelo a todos os comerciantes que não vendam bebidas alcoólicas a menores de idade. É muito importante que a mídia torne pública a medida. Buscamos que a lei seja cumprida", destacou.

A campanha contará com a veiculação de cinco vídeos, já disponíveis no canal do Ministério da Justiça no Youtube e podem ser acessados abaixo.

por Portal Brasil

[Fonte: Portal Brasil - 24/02/2014]

 

Assista os vídeos da campanha:

 

Campanha de carnaval alerta para riscos do consumo de álcool entre jovens

Estudo encomendado pela Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas revela que mais da metade dos jovens já consumiu álcool. Cinco vídeos postados nas redes sociais alertam para os males causados pelo consumo de bebida.

Campanha de carnaval alerta para riscos do consumo de álcool entre jovens

O Ministério da Justiça lançou, nesta segunda-feira (24), a campanha de carnaval Bebeu Perdeu, com foco no enfrentamento ao consumo de bebidas alcoólicas por crianças e adolescentes.

Cinco vídeos já estão disponíveis no canal do YouTube JusticaGovBr. Além de circularem nas redes sociais, eles serão exibidos nas salas de cinema da Bahia, Minas Gerais, Pernambuco e Rio de Janeiro. Também foram preparados outdoors e painéis para os aeroportos nas principais cidades com carnaval nesses estados.

A campanha foi feita com base em uma pesquisa encomendada pela Secretaria Nacional de Política sobre Drogas (Senad/MJ) ao Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas (Cebrid), da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Segundo o secretário da Senad, Vitore Maximiano, o estudo mostrou, em 2010, que 60,5% dos jovens estudantes do 6º ao 9º ano do ensino fundamental 2 e 1º ao 3º ano do ensino médio, de escolas públicas e particulares, já consumiram álcool.

O 6º Levantamento Nacional sobre o Consumo de Drogas Psicotrópicas foi realizado em 2010 entre estudantes do ensino fundamental e médio das redes pública e privada de ensino nas 27 capitais brasileiras. A amostra final em cada capital variou entre 348 e 2.310 estudantes de escolas públicas, e 115 e 1.763 estudantes de escolas particulares, totalizando 50.890 alunos distribuídos em cerca de 900 escolas de todo o país.

Durante o lançamento da campanha, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse que o uso do álcool na adolescência é um ponto extremamente delicado, e fez um apelo aos comerciantes que vendem bebidas alcoólicas durante as festas. "Fazemos um apelo social aos comerciantes, aos orgãos de controle social e aos adolescentes, que acreditem que o carnaval e a vida podem ser curtidas sem o uso do álcool".

Ligue 132

O Ligue 132, antigo VivaVoz 132, oferece atendimento gratuito de orientação e informações sobre os riscos do uso de drogas e seus efeitos no organismo. O serviço faz parte do programa "Crack, é possível vencer", iniciativa do governo federal para o enfrentamento de drogas.

Ouça o áudio da fala do ministro e do secretário da Senad.

Assista aos vídeos:

#BebeuPerdeu   -   Dormiu
#BebeuPerdeu   -   Amanheceu
#BebeuPerdeu   -   Praia
#BebeuPerdeu   -   Onda
#BebeuPerdeu   -   O Beijo

Marina Junqueira
Agência MJ de Notícias
(61) 2025-3135 / 3315
imprensa@mj.gov.br
www.justica.gov.br

[Fonte: Ministério da Justiça - 24/02/2014]

 

Em tempo de carnaval, Ministério da Justiça lança campanha “Bebeu, perdeu”

Em tempo de carnaval, Ministério da Justiça lança campanha “Bebeu, perdeu”

Os cartazes, vídeos na TV, nas redes sociais, além de programas de rádio, querem conscientizar.

 

Uso do álcool é maior em escolas privadas

Alcoolismo é doença, mas nem sempre a sociedade encara dessa forma.
É o que diz um membro do AA ao JdeB.

A festa mais popular do país vai começar neste fim de semana. A partir de sexta-feira, dia 28, até a Quarta-Feira de Cinzas, 5, foliões vão estar nas ruas e nos clubes para curtir ao som das marchinhas de carnaval. É hora de vestir a fantasia, mas é também momento de refletir sobre o consumo de álcool. Para evitar excessos, o Ministério da Justiça lançou na segunda, dia 24, a campanha "Bebeu, perdeu". O objetivo maior é conscientizar sobre a proibição do consumo de bebidas alcoólicas por crianças e adolescentes, e, claro, o foco é no período do carnaval.

Vídeos educativos foram inseridos em canais da TV aberta e nas redes sociais, além de propagandas em emissoras de rádio. A ideia é alertar os pais de que o consumo de álcool é proibido por menores de idade. O lema da campanha é "Curta a adolescência sem beber".

De acordo com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, a campanha é direcionada aos adolescentes, mas o foco também é atingir os pais e os comerciantes. "Temos dados preocupantes que mostram que 60% dos adolescentes e crianças já experimentaram álcool, e isso traz consequências delicadas, até porque não só as drogas ilícitas, mas também as lícitas trazem muito dano, violência, muitos problemas para a sociedade brasileira", disse o ministro.

A campanha custará caro ao governo. Serão investidos cerca de R$ 5 milhões. Os vídeos serão exibidos em quatro regiões do país, onde há maior número de blocos de rua: Salvador (BA), Rio de Janeiro (RJ), Recife (PE) e Ouro Preto (MG).

Campanha jovem

Já que o maior intuito é atingir os adolescentes, a campanha precisa ser atraente para este público. Por isso, o Ministério da Justiça priorizou uma linguagem específica para eles, porém sem querer colocar medo ou algo parecido para ameaçá-los. O secretário nacional de Políticas sobre Drogas do Ministério, Vitore André Zilio Maximiano, disse que "a campanha tem uma linguagem própria para adolescentes. Evitamos uma campanha que utilize terror porque percebemos que não costuma funcionar".

Uso do álcool é maior em escolas privadas

Em 2010, segundo dados da pesquisa realizada pelo Ministério da Justiça, por meio da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas, crianças e adolescentes já experimentaram ou estão consumindo bebida alcoólica antes dos 18 anos. A pesquisa em parceria com a Universidade Federal do Estado de São Paulo (Unifesp) constatou que 60% dos adolescentes dos ensinos médio e fundamental disseram já ter bebido.

Essa realidade acontece tanto em escolas públicas como particulares. E vale ressaltar o que a pesquisa evidenciou: os maiores índices de uso de álcool estão entre os jovens do ensino médio das escolas privadas. 

Os menores bebem e até lançam “desafio da cerveja” nas redes sociais

 

Funciona da seguinte forma: um jovem desafia o outro a beber 500 ml de cerveja e postar o vídeo como prova na rede social. Depois, este que bebeu e cumpriu o trato pode desafiar outros amigos. Se os amigos mencionados no vídeo não cumprirem, têm de pagar uma caixa de cerveja como punição.

Suélen Moreno citou os vídeos que estão rolando na internet como exemplo para lembrar que os adolescentes estão bebendo, mesmo sabendo que não deveriam. "É tão proibido para menores que ultimamente só tem vídeos de adolescentes entrando neste desafio", lamentou. E o pior: não são apenas adolescentes que entram na onda do desafio. Jovens e até adultos estão compartilhando na rede o feito de virar um copo com 500 ml de cerveja.

Para Suélen, o diálogo em família ainda é a melhor maneira de conscientizar crianças e adolescentes sobre o uso de álcool. Quanto às campanhas, Suélen considerou difícil que surtam efeitos positivos, já que os próprios donos de cervejarias vendem bebidas para menores, mesmo cientes da proibição.

Já a fonoaudióloga Heloísa Sabadin acredita que as campanhas podem funcionar. "É como a campanha contra o fumo, é visível a diminuição de fumantes em lugares públicos e isso inibe a visibilidade dentro e fora de casa."

O educador ambiental Cláudio Loes disse que todos os que hoje são adultos já viveram a adolescência e passaram por essa fase. O importante para evitar excessos é o exemplo do mais próximo, no caso dos filhos, o exemplo dos pais. Na opinião de Cláudio, a escola também tem papel fundamental neste processo e precisa auxiliar os pais quando o assunto é bebida. "Na escola participávamos da APMF e a questão de não ter bebida alcoólica era sempre um ponto do qual não abríamos mão", comentou.

Opinião da pedagoga Karen Oro Niehus

Alcoolismo é doença

Um dos membros dos Alcoólicos Anônimos de Francisco Beltrão considera grave o problema do alcoolismo, e vai além: "É uma doença e infelizmente não é encarada desta forma pela sociedade". Para conscientizar as famílias e os proprietários de estabelecimentos que vendem bebidas, a campanha é válida, apesar de não resolver o problema. "Pelo menos é uma maneira de alertar as famílias sobre a questão."

Para o membro, é difícil impedir que os adolescentes tenham contato com o álcool, no entanto, é possível que os pais consigam dialogar e encontrar caminhos para evitar o consumo.

Cristiane Sabadin

[Fonte: JdeB - Jornal de Beltrão - 27/02/2014]

 

Matérias relacionadas:   (links internos)
»   Campanhas & Programas
»   Notícias: Saúde
»   Política Antidrogas
»   Saúde

Jornais:   (links externos)
»   Gazeta do Povo
»   Jornal de Beltrão

Referências:   (links externos)
»   Canal do Ministério da Justiça no YouTube
»   CEBRID - Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas
»   MJ - Ministério da Justiça
»   Portal Brasil
»   SENAD - Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas
»   YouTube Brasil

Vídeos:   (links externos)
»   Vídeo - Adolescentes usam disque-bebidas para burlar a lei   (3min 17seg)
»   Vídeo - Campanha "Bebeu, Perdeu." - Amanheceu   (0min 35seg)
»   Vídeo - Campanha "Bebeu, Perdeu." - Beijo   (0min 40seg)
»   Vídeo - Campanha "Bebeu, Perdeu." - Dormiu   (0min 50seg)
»   Vídeo - Campanha "Bebeu, Perdeu." - Onda   (0min 50seg)
»   Vídeo - Campanha "Bebeu, Perdeu." - Praia   (0min 41seg)

 

 

Recomendar esta notícia via e-mail:
Captcha Image Carregar outra imagem