• Criança

Criança e Adolescente

02/09/2014

ESTATÍSTICAS - Pesquisa põe Brasil em topo de ranking de violência contra professores

 

ESTATÍSTICAS - Pesquisa põe Brasil em topo de ranking de violência contra professores

Estudo também revelou que também revelou que apenas um em cada dez professores no Brasil acreditam que a profissão é valorizada pela sociedade
(Foto: Rio de Janeiro / ABR, não creditado)

Uma pesquisa global feita com mais de 100 mil professores e diretores de escola do segundo ciclo do ensino fundamental e do ensino médio (alunos de 11 a 16 anos) põe o Brasil no topo de um ranking de violência em escolas.

Na enquete da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), 12,5% dos professores ouvidos no Brasil disseram ser vítimas de agressões verbais ou de intimidação de alunos pelo menos uma vez por semana.

Trata-se do índice mais alto entre os 34 países pesquisados - a média entre eles é de 3,4%. Depois do Brasil, vem a Estônia, com 11%, e a Austrália com 9,7%.

Na Coreia do Sul, na Malásia e na Romênia, o índice é zero.

O tema da violência em sala de aula foi destacado por internautas ouvidos pela BBC Brasil como um assunto que deveria receber mais atenção por parte dos candidatos presidenciais e vem gerando acirrados debates em posts que publicamos nos últimos dias nas nossas páginas de Facebook, Twitter e Google+.

"A escola hoje está mais aberta à sociedade. Os alunos levam para a aula seus problemas cotidianos", disse à BBC Brasil Dirk Van Damme, chefe da divisão de inovação e medição de progressos em educação da OCDE.

O estudo internacional sobre professores, ensino e aprendizagem (Talis, na sigla em inglês), também revelou que apenas um em cada dez professores (12,6%) no Brasil acredita que a profissão é valorizada pela sociedade; a média global é de 31%.

O Brasil está entre os dez últimos da lista nesse quesito, que mede a percepção que o professor tem da valorização de sua profissão. O lanterna é a Eslováquia, com 3,9%. Em seguida, estão a França e a Suécia, onde só 4,9% dos professores acham que são devidamente apreciados pela sociedade.

Já na Malásia, quase 84% (83,8%) dos professores acham que a profissão é valorizada. Na sequência vêm Cingapura, com 67,6% e a Coréia do Sul, com 66,5%.

A pesquisa ainda indica que, apesar dos problemas, a grande maioria dos professores no mundo se diz satisfeita com o trabalho.

A conclusão da pesquisa é de que os professores gostam de seu trabalho, mas "não se sentem apoiados e reconhecidos pela instituição escolar e se veem desconsiderados pela sociedade em geral", diz a OCDE.

Daniela Fernandes, de Paris para a BBC Brasil

[Fonte: BBC Brasil - Série sobre violência contra professores - atualizado em 28/08/2014]

 

[Ver notícia]

Violência contra professores: o que você achou da nossa cobertura?   (29/08/2014)
Ao longo desta semana, a BBC Brasil apresentou uma série de reportagens sobre um tema que vinha ganhando pouco destaque no debate nacional: a violência contra os professores.
(Reportagem: Silvia Salek, diretora de redação BBC Brasil - Foto: BBC, BBC Brasil, não creditado)

[Ver notícia]

Gabriel o Pensador: “Professor é herói do dia a dia”   (29/08/2014)
Gabriel o Pensador renova as críticas que fez em “Estudo Errado” há 20 anos. “Eu tô aqui pra quê? / Será que é pra aprender? / Ou será que é pra sentar, me acomodar e obedecer?”
(Reportagem: Renata Mendonça, Da BBC Brasil em São Paulo - Foto: Márcio Gouveia)

[Ver notícia]

Paulo Ito lembra de “bronca” na escola que virou lição de vida   (29/08/2014)
Como parte do série de reportagens da BBC Brasil sobre violência contra professores, convidamos o artista e grafiteiro Paulo Ito para criar uma ilustração que resumisse o problema.
(Reportagem: não creditado - ilustração: Paulo Ito)

[Ver notícia]

Escola é violenta com aluno, diz Cristovam Buarque   (28/08/2014)
Um dos grandes defensores da educação como instrumento de transformação do Brasil, o senador Cristovam Buarque considera que o problema da violência na rede pública de ensino do país é gerado principalmente por causa da desvalorização da escola como instituição.
(Reportagem: Renata Mendonça, da BBC Brasil em São Paulo - Foto: Agência Senado, não creditado)

[Ver notícia]

Professor baleado em estado grave expõe face trágica de violência em escolas   (26/08/2014)
“Professora, preste atenção, que comigo não são cinco tiros, são seis”. A frase foi dita por um aluno à professora, em uma escola estadual em Sergipe, e faz referência ao trágico caso de um professor baleado em Aracaju no dia 12 de agosto.
(Reportagem: Camilla Costa, da BBC Brasil em São Paulo - Foto: Arquivo pessoal)

[Ver notícia]

Goiás aposta em “militarização” de escolas para vencer violência   (26/08/2014)
No portão de entrada, o sequestro relâmpago de uma professora; na sala de aula, o assassinato de um ex-aluno; no banheiro, tráfico de drogas: esse era o retrato da escola Fernando Pessoa em Valparaíso (GO), que acendeu o alerta das Secretarias de Educação e de Segurança Pública de Goiás para os frequentes casos de violência na rede de ensino estadual.
(Reportagem: Renata Mendonça, da BBC Brasil em São Paulo - Foto: CPMG, Fernando Pessoa)

[Ver notícia]

“Continuei dando aula com olho sangrando”, diz professor atingido por azulejo   (26/08/2014)
Um professor de biologia de uma escola particular na Bahia reverteu a hostilidade dos alunos após discursar por uma hora com olho sangrando depois de ter sido atingido por um azulejo atirado por um aluno.
(Reportagem: Ricardo Senra, da BBC Brasil em São Paulo - Foto: Acervo pessoal)

[Ver notícia]

Escolas, alunos e professores “não falam mesma língua”   (25/08/2014)
Quando o assunto é a violência dentro das salas de aula, não parece haver consenso sobre suas principais causas.
(Reportagem: Ricardo Senra, da BBC Brasil em São Paulo - Foto: Agência Brasil)

[Ver notícia]

Professora tenta suicídio duas vezes após agressões consecutivas de alunos   (25/08/2014)
A professora Liz*, que diz ter sido atacada diversas vezes por alunos, pediu para não se identificar por medo de represálias. “Dou aula de porta aberta por medo do que os alunos possam fazer. Não dá para ficar sozinha com eles”, diz Liz*, professora de inglês de dois colégios públicos da periferia de São Paulo.
(Reportagem: Ricardo Senra, da BBC Brasil em São Paulo - Foto: BBC Brasil)

[Ver notícia]

“Professores reclamam mais do medo que do salário”, diz psiquiatra   (25/08/2014)
À frente de sessões de terapia em grupo para professores da rede pública há mais de 25 anos, o psiquiatra Lenine da Costa Ribeiro diz que as agressões físicas e verbais vindas de alunos são os principais motivos de doenças psicológicas entre os educadores que recorrem ao divã.
(Reportagem: Ricardo Senra, da BBC Brasil em São Paulo - Foto: IAMSPE/SP)

[Ver notícia]

Série sobre violência contra professores abre cobertura de eleições da BBC Brasil   (25/08/2014)
Há cerca de um mês, perguntamos aos nossos leitores nas redes sociais o que mais lhes preocupava na área da Educação. Ficamos surpresos com a frequência de menções a um tema que, por mais que fosse conhecido, não vinha ganhando tanta atenção: a violência contra os professores.
(Reportagem: não creditado - Foto: BBC, BBC Brasil, não creditado)

[Ver notícia]

Inovações na educação “servem de estímulo a professor”, diz OCDE   (21/07/2014)
Dinamarca, Indonesia, Coreia do Sul (foto) e Holanda inovaram mais na sala de aula. Inovações - de filosofia, estilo e até de recursos tecnológicos - nas escolas podem ter impacto positivo na valorização de professores e, em alguns casos, nas notas dos alunos em algumas disciplinas.
(Reportagem: não creditado - Foto: Coreia do Sul, AFP)

[Ver notícia]

Mãe de aluna mata professora em frente à classe na França   (04/07/2014)
Suspeita teria dito à polícia que cometeu o crime porque docente “tratava mal” sua filha. Uma professora de escola primária na França foi esfaqueada até a morte em frente à classe pela mãe de uma aluna, informou a polícia.
(Reportagem: não creditado - Foto: França, AFP)

[Ver notícia]

Como valorizar a carreira de professor no Brasil?   (15/10/2013)
Especialista diz que profissão sofre com problemas de atratividade no Brasil. Em meio a protestos por melhorias na educação, à greve de professores no Estado do Rio de Janeiro e à pouca procura pela carreira no magistério, o que é preciso para valorizar a carreira de professor no Brasil?
(Reportagem: Paula Adamo Idoeta, da BBC Brasil em São Paulo - Foto: AFP)

 

Matérias relacionadas:   (links internos)
»   Educação
»   Educadores

Referências:   (links externos)
»   BBC Brasil
»   CAOPCAE/MPPR - Área da Educação
»   OCDE - Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico

 

 

Recomendar esta notícia via e-mail:
Captcha Image Carregar outra imagem